Contagem regressiva: faltam 10 meses para o aniversário de 50 anos de Doctor Who!

Esse é um ano especial para o fãs de Doctor Who. A série completa 50 anos, e até agora, não temos nenhum fato concreto acerca do especial (ou especiais) de aniversário, exceto que ele vai acontecer, e que Moffat já está escrevendo.

Só pra aumentar o nervosinho, no último domingo (20), o site BirminghamMail publicou uma notícia confirmando que TODOS OS ONZE DOUTORES vão aparecer no especial. Os três primeiros, já falecidos, seriam inseridos com a ajuda da computação gráfica. É claro que os sites especializados, como o Kasterborous, fizeram questão de desmentir o fato, já que não há nenhuma confirmação oficial da BBC.

Até aí, tudo bem. Mas o que os fãs esperam? A resposta é fácil: um especial com multidoutores e multicompanions, seguindo os moldes dos especiais anteriores! Vamos fazer um resumão pra galera entender melhor.

10 anos de Doctor Who (1973): The Three Doctors

Nessa história, víamos o Vilão Omega tramando contra os Senhores do Tempo, e esses por sua vez recorrendo ao Doutor para resolver a situação. Infelizmente, ele sozinho não conseguiria resolver tal problemão…então quem melhor do que ele mesmo para ajudar? 😀

Os sempre briguentos 2º e 3º Doutores tiveram que se virar pra contornar um problema transdimensional, tendo que entrar no próprio universo anti-matéria e enfrentar o Senhor do Tempo renegado, Omega (que no passado era chegado do Rassilon, sabe como é…) Tudo, é claro, com a ajuda do 1º Doutor, que dava as “coordenadas” de longe, tendo em vista que ele havia ficado preso no caminho para a linha do tempo do 3º Doutor (na verdade, essa foi o meio que a BBC conseguiu de fazer William Hartnell aparecer no episódio, que estava muito adoentado na época =/ ). Como companions tínhamos Jo Grant, o Brigadeiro e o Sargento Benton.

20 anos de Doctor Who (1983): The Five Doctors

retrospectiva

Richard Hurndall (no lugar de William Hartnell), Patrick Troughton, Jon Pertwee, Tom Baker e Peter Davison, que na época era o Doctor da vez

Além dos Doutores, trazia vááárias companions, como Sarah Jane, Jamie, Susan, Brigadeiro, etc. O grande vilão do arco aprisiona os Senhores do Tempo e os manda para Gallifrey. Cada Doutor carrega uma companion até a torre de Rassilon, onde eles irão desvendar um quebra-cabeça e garantir que sua timeline esteja a salvo. Ufa!

Curiosidade: Tom Baker mal aparece no episódio, em uma ceninha com a Romana, previamente gravada para um episódio que não foi ao ar. Dizem por aí que Tom não queria ofuscar os outros Doutores.

30 anos de Doctor Who (1993): Dimensions in Time

Época de hiato, o especial fazia parte do Children in Need. A trama do especial mostrava a já conhecida inimiga do Doutor, a Rani, tentando arrancá-lo do próprio tempo. De acordo com a história, ela já havia conseguido atingir os 2 primeiros Doutores e deixar o 4o aprisionado, já o 3o, o 5º, o 6º e o 7º se viam trocando de lugar constantemente, tentando se realocar em seus próprios lugares no tapete do tempo. Uma curiosidade legal é que esse especial foi um leve crossover com a série EastEnders, também da BBC. Contava também com Ace, Susan, Sarah Jane, K9, Victoria, e muitas outras companions.

40 anos de Doctor Who (2003): The Scream of the Shalka

Feito pra coincidir com o aniversário de 40 anos da série, a BBC produziu um arco totalmente animado, em que era mostrada a então nunca vista 9ª encarnação do Doutor. A animação era toda feita em cima de atores reais, que dublavam as vozes de cada personagem, e adivinha só quem fazia o 9º Doutor? Richard E. Grant! Siiim, antes de ser o Doutor Simeon, ele foi O Doutor. No entanto, essa versão acabou sendo colocada pra escanteio com a retomada da série em 2005 e com a vinda de Christopher Eccleston como o 9º Doutor regular. O de Grant se tornou uma das possíveis variantes de regeneração que o Doutor poderia ter tido (os bons e velhos non-canon).

Bônus: The Two Doctors (1985)

Esse não foi um especial de aniversário, mas teve a presença de Patrick Troughton e Colin Baker. Trabalhando para os Senhores do Tempo, para tentar evitar ser exilado e regenerado, o 2º Doutor, ao lado de seu inseparável companion, Jamie McCrimmon, entravam na Estação Espacial Chimera em uma missão diplomática. O que eles não esperavam era que os membros da tripulação estivessem mancomunados com os Sontarans, e é claro que isso ia resultar na captura do Doutor.

Anos depois, em sua própria linha de tempo, em um dia calmo de pesca, o 6º Doutor sentia as implicações dessa captura. E na busca de um médico especialista, o Doutor e Peri partem para… A ESTAÇÃO ESPACIAL CHIMERA! How convenient, huh? Só que não! Só os dois Doutores mais resmungões de toda a série pra conseguirem solucionar tal problema. Só que agora ele não estava mais no espaço, mas sim na Espanha! Sim, foram muitas voltas até chegar à solução desse episódio. Rolou até um ~clima~ entre Jamie e Peri, rapaz!

***

Relembrando William Hartnell…

E já que esse é o primeiro mês do ano, que tal relembrar o Primeiro Doutor? William Hartnell, chamado carinhosamente de Bill, viveu o nosso timelord favorito durante os anos de 1963 a 1966. Ele veio a falecer em 1975 (ele nasceu em 1908, gente!). Hartnell tinha muita amizade com Carole Ann Ford, a Susan, que sofreu bastante com a morte do ator.

O Doutor, um timelord renegado de Gallifrey, rouba uma Tardis e leva sua neta, Susan, para viajar pelo espaço-tempo. Em 1963, eles estão na Terra, mais precisamente na Inglaterra, num lixão na Totter’s Lane 76. Susan estuda em um colégio onde dão aula Ian e Barbara. A garota é um prodígio e desmente algumas informações de seus professores, e ao mesmo tempo mostra dificuldade em coisas simples demais, exatamente por dar explicações complexas demais, o que intriga os professores. Eles vão procurar o endereço de seu avô e vão parar dentro da Tardis (ou melhor: entram na marra, contra a vontade do Doutor). Com isso, o Doutor não os deixa sair da TARDIS e eles acabam sendo transportados para o ano de 100.000 a.C, e encontram os homens das cavernas! Esse primeiro arco da série, An Unearthly Child. Já fizemos um review dele aqui!

O Doutor viria a deixar Susan no século 22 para ela poder ter uma vida normal ao lado de David Campbell (um revolucionário que lutava contra os Daleks), onde proferiu suas frases mais emblemáticas:

“One day, I shall come back. Yes, I shall come back. Until then, there must be no regrets, no tears, no anxieties. Just go forward in all your beliefs and prove to me that I am not mistaken in mine.”

Ao decorrer de sua época ele ainda teria vários outros companions, tais como Vicky (que no começo serviu como um tapa-buraco emocional/substituta de neta para o Doutor), Steven, Katarina, Dodo, Ben e Polly. É importante lembrar que William está presente em arcos inesquecíveis!

The Daleks – O primeiro grande arco dos Daleks, que se passava em nada mais nada menos que Skaro!
The Dalek Invasion of Earth – Onde o Doutor encontrava os Daleks na Terra, mais evoluídos que antes e escravizando a raça humana.
The Chase – O Doutor e a equipe da TARDIS ficava perseguindo/fugindo dos Daleks por vários pontos do tempo. Uma das coisas legais do episódio é a aparição de Dracula e Frankenstein!

Como acontecia (infelizmente) com alguns (pra não falar muitos) arcos do 1º e do 2º Doutor, existiram episódios que sumiram com o tempo, sobrando somente reconstruções. Um deles, entitulado “The Celestial Toymaker“, mostrava o Doutor enfrentando um dos vilões mais bem elaborados da série: O Artesão Celestial, vivido por Michael Gough (muito conhecido por fazer o Alfred da série de filmes do Batman de Burton e Schumacher). Nesse episódio, a TARDIS se materializava na Celestial Sala de Jogos, lugar regido pelo Artesão, onde a trupe da TARDIS era forçada a passar por uma série de Jogos para sobreviver.

Depois de encontrar os Cybermen, o Doutor de Hartnell viria a regenerar não por radiação ou por absorver o núcleo da TARDIS, mas sim por cansaço. Sim, ele estava com o corpo velho, e precisava de um novo para continuar suas aventuras pelo tempo e espaço. Afinal, parar nunca foi uma opção.

Ah, ele fez questão de indicar Patrick Troughton para o papel, que estreou como o Segundo Doutor. Mas isso é assunto para o mês que vem…

*post feito por Thais Pond e Freddy Pavão

Thais Aux

Thais Aux é jornalista e tradutora. Começou a ver a série em 2011, quando criou este site! Doutor favorito: 10º. Companion favorita: Rose Tyler. Vilão favorito: Daleks!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*