Notícias

Chat de Doctor Who na TV Cultura

thais pond e aline com a tardis Chat de Doctor Who na TV Cultura
Thais, Tardis e Aline: BFFs

Por Thais Pond

O momento tão esperado chegou: a gente ia falar da nossa série favorita na TV Cultura, uma emissora que a gente sempre gostou TANTO! Eu e a Aline, do Whovians.net, participamos do debate com mais 3 pessoas, e o resultado você vê aqui:

Ainda estou em estado de êxtase, mas basicamente chegamos lá e fomos levados para uma salinha de espera, onde conhecemos os outros participantes. De lá fomos direto pro estúdio, onde a Tardis nos esperava de portas braços abertos! Todo mundo queria tirar foto com a bendita!

Aí me disseram que eu ia sentar na cadeirinha chique do lado do apresentador #temor. Mas no fim deu tudo certo e como vocês podem ver, a discussão foi ótima! É a mesma sensação de ir nos encontros e poder falar da sua série favorita, a história, o Doctor favorito, a companion favorita, o amor pelo Russell T. Davies, o ódio por Steven Moffat… coisa de fã! Foi muito legal e nós queremos que role de novo!

A Donna Cláu, aquela linda, twittou tudo em tempo real icon smile Chat de Doctor Who na TV Cultura Quero agradecer a todos os amigos, colegas e as pessoas que eu não conheço, por ter assistido, participado, comentado, participado do chat, usando a hashtag e tudo mais. Vocês foram uns lindos! Mesmo! Obrigada pelos elogios via Twitter, eu fiz o meu melhor pra representar o fandom mais unido e fofo do universo. Agora ~depende de nós~ pedir pra TV Cultura os especiais (porque me parece que realmente eles não serão exibidos) e fazer quaisquer reinvidicações. Eles falaram pra gente pedir no Fale Conosco da TV Cultura e pela página do Facebook Doctor Who na TV Cultura. Encham o saco deles!

Finalizo agradecendo à Débora, à Camila e ao Juliano lá da TV Cultura, que proporcionaram isso pra gente. Obrigada pelo convite, e que venham mais chats! icon smile Chat de Doctor Who na TV Cultura

44 thoughts on “Chat de Doctor Who na TV Cultura

  1. Thais, o programa foi muito legal, me senti lá conversando com vocês. Ainda não entendi seu ódio pelo Moffat… mas eu sei, coisas de fã (mesmo gostando do Matt, ainda queria o Tennant). Vocês representaram os whovians muito bem!

    • O problema do Moffat é que ele é megalomaníaco e deu mais atenção à River do que à Amy, SOMENTE.

      • Realmente, o T Davis tinha uma abordagem muito bacana que lembrava bastante o Douglas Adams. Mas o T Davis também dava umas piradas (Sério, Aliens peidões? wtf?). Eu sinto falta da pegada que o T Davis tinha (um pouco de misterio nos episódios) mas esse estilo Megalomanico do Moffat fez muito bem pro seriado, sério, ainda não consigo esquecer o Season Finale da 5ª temporada

  2. Eu tentei assistir o debate, mas estava, como eu posso dizer… GIRLY demais. Parecia que o Tumblr tinha ganhado vida. Não deu pra mim, desculpem.

    Contudo, curti a iniciativa. E que venha o Doutor!

  3. Adorei: o entusiasmo de vocês vai “grudar” nos próximos fãs.
    Faço apenas uma ressalva: não sei se só acontece comigo, mas acho muito importante o momento das descobertas, aquelas inesperadas ou sobre coisas misteriosas que vinham me atormentando para desvendá-las. Enfim, acho que assistir a um roteiro benfeito é um processo cheio de descobertas, e no caso de Doctor Who, fantásticas!
    E, neste aspecto, vocês soltaram muitos spoilers. Passaram um visão de fã mesmo, que assistiu a todos os episódios, falando de mistérios que deveriam ser desvendados ao longo das temporadas.

    Outra coisa: embora não aceite de jeito nenhum a dublagem, fiquei feliz pelo trabalho de divulgação da série e também por estar na TV Cultura. Creio que, por isso, não será estraçalhado por propagandas de 5 em 5 minutos; não será interrompido por questão de baixa audiência; e a TV Cultura tem status de… cultura, rs.

    De resto, adorei mesmo. É um primeiro passo para que mais brasileiros conheçam o refinamento das séries britânicas, tornem-se um público mais exigente, obrigando essas emissoras de tv brasileira a produzir programas decentes.

    Kiss, seus lindos!

  4. Olha pessoal, achei o debate cheio de erros, como é que vocês dão spoiler atrás de spoiler pra um pessoal que nem conhence?

    • Eles nos deram liberdade para falar sobre spoilers, e acredito que o chat era mais dirigido a fãs do que novos espectadores. Por isso, nos sentimos à vontade para comentar peças-chave do enredo.

  5. Eu comecei assistindo, gostei bastante da ideia de um debate sobre Doctor Who…. mas estava, digamos, muito histérico!!!…pelo amor de Deus, quantos comentários exageradamente infantis…não consegui ver até o final pois não estava acrescentando em nada…no que poderia ser um debate interessante sobre a exibição na Cultura, ou poderiam ter separado alguns tópicos interessantes… no fim virou uma besteirada a la “fangirls de Crepúsculo”.

    Parabéns a Cultura pela iniciativa e critiquem o quanto quiser… mas a histeria de vocês (com excessão do rapaz de Fez) jogou a iniciativa fora.

    Abs

    • Alberto, quanto tempo do chat você viu? Teve momentos que falaram algumas coisas sobre a série clássica, torchwood e etc.
      Acho complicado vc generalizar e falar que todas estavam histéricas.

      • Depois que saiu no youtube, vi (ugh!) a partir da aonde parei… esperei que alguma coisa iria melhorar mas não achei nada proveitoso e com uma linguagem boba, pra não dizer outra coisa…

        Não é uma critica pessoal a quem foi, apenas não gostei… Doctor Who é uma serie para todas as idades e acho que deveriam ter escolhido um pessoal um pouco mais diversificado, e não 90% das pessoas presentes comentando da mesma forma (histérica!) que falam sobre Malhação ou Crepúsculo e sobre como amam a Martha e coisas do tipo (falo sobre linguagem, daqui uns 10 anos assistam novamente esse vídeo e vão entender..rsrs).

        Sei que o método de escolha foi através das frases criativas pelo Facebook, mas pessoas de faixa etárias diferentes poderiam ter acrescentado muito mais à discussão. Os podcasts do UniversoWho por exemplo são bem bacanas….meu erro foi esperar algo daquele tipo ;)

        Abs

        • Hum, that`s ok. ao meu ver, eu não estava histérica fã de crepusculo, só isso.
          Vc tem direito de dar uma opinião diferente e eu de argumentar em cima :)

          E cara, a cultura não teve como advinhar quem seria propício ou não. E não esquenta, vai ter mais BATE PAPOS sobre Doctor Who, e quem sabe, alguem mais maduro como vc, não possa participar? ;D

          • Que bacana que terão mais bate papos na Cultura, independente da qualidade e do conteúdo é legal ver o espaço que estão dando à série.

            Abs

    • De boa cara, cê não viu o mesmo debate que eu né?
      O cara de fez só fazia criticar os Doutores da clássica e de histérica ali só tinha a tal de Thalita (com H!)…

      • Sim, vi o mesmo programa que você.

        Por que? Não posso ter opinião diferente da sua que já caio em descredito? Por favor…

  6. Ei, eu adoro os doutores da Clássica. Menos o Colin. E acho que, pelas circunstâncias, o McCoy fez o trabalho que podia — os roteiros e o horário em que Doctor Who eram exibidos na época pela BBC atrapalharam demais a audiência. Adoro o Peter Davison, estou assistindo a fase do Pertwee e adorando. Já assisti aos episódios clássicos do Tom Baker, o melhor Doutor antes do Tennant.

    Então, só porque critiquei o Colin e o filme (não o doutor) do McGann, você não tem o direito de dizer isso de mim, Freddy.

    • Tava expondo opinião do mesmo jeito que você, cara…eu achei impensado falar que o cara foi o “fracassado”, ele tem pontos altíssimos que foi o único dos clássicos que conseguiu ter episódios de 45 minutos, foi quem ajudou a trazer a peça off-Broadway da série de volta, tem os melhores audiodramas, e por ai vai…

      Na MINHA opinião o que a BBC fez com ele de ter simplesmente despensado o cara foi sujeira, ele tinha todo o direito de não querer fazer a regeneração e tal. O McCoy só fez as “coisas que ele deveria ter feito” porque os roteiros da primeira temporada dele eram pro Doutor do Colin e não do McCoy sabe…

  7. Sei que isso é chato, mas preciso dizer: pulei MUITAS partes do bate-papo por causa da menina de branco (a histérica). Gostei de algumas partes, foram divertidas. Sobre os spoilers…achei válido por ser direcionado aos fãs, mas foram muitos, conheço gente que assistiu o bate-papo pra tentar demonstrar interesse por Doctor Who e acabou sacando muito da 6ª temporada :/ Tirando isso, curti todos os que estavam presentes (menos a Thalita com H).

  8. Achei umas partes muito boas, mas outras foram uma missa de sétimo dia do Russel e do Tennant, como se a série só existisse por causa deles.

  9. Ah, me lembrei de outra coisa: nós, que assistimos o episódio no zerésimo de segundo que cai na rede, estamos até falando inglês com accent britânico. Mas os futuros fãs ainda não, né gente. Então não foi muito cool citarem coisas em inglês, pois quem ainda não é da nossa tribo pode até ter se assustado – e não ter entendido uma sílaba sequer.
    Bom, serviu de experiência.
    Line, senti um certo menosprezo cínico (rs) quando você disse pessoas “maduras” como o Alberto? Olha só, você já leu as discussões que rolam no Gallifrey Base? E as que rolavam no Behind the sofa? Pelo menos no UK e USA a série não é exclusiva para adolescentes.
    De resto, torço para que o programa tenha bons resultados, apesar da performance meio tolinha e, sobretudo, dos spoilers. Que bom que vai ter outro, assim a estratégia pode ser repensada. O que está em jogo é apresentar bem a série aos novatos, certo?
    Kiss

    • hehehe

      Costumo na medida do possível, enxergar as coisas por um lado positivo quando a discussão não parte para um baixo nível, por isso ignorei minha suspeita de cinismo ao se tratar de “pessoas maduras”.

      Independete da moça que me respondeu ter sido cínica ou não (com o benefício da dúvida, claro), é comum ver esse menosprezo por parte da comunidade teen.

      “Bendito” país aonde se comunicar com educação, tentar agir com maturidade e prezar pelo nível da conversa/pensamento é motivo de chacota. Acho chato comparar mas é inevitável, quando morei na Inglaterra mesmo que por pouco tempo, pude notar uma educação e cultura elevadissima que esse país vai demorar muitas dezenas de anos pra conseguir… o menosprezo pela “maturidade” é a prova absurda disso.

      (e olha que nem me considero bem imaturo…minha namorada que o diga :P)

      E reforçando: não estou julgando a moça que me respondeu, acho até que ela tenha sido tão sincera quanto foi educada.

      abs

        • rsrsrs. Sem contar que a questão aqui não tem nada a ver com maturidade, mas sim introduzir inteligentemente elementos da série que possam criar interesse por ela.
          Houve uma confusão entre um evento de fãs, onde todo mundo conhece tudo sobre DW e discute desde especulações sobre o nome do Doctor, o fim que terá Rory e Amy, quanto tempo Matt fica por lá, etc., com um programa que vai apresentar uma série nova no Brasil, britânica, portanto de um tipo com o qual os brasileiros não estão acostumados – não é um Doctor House da vida.
          Meu pai também vive me dizendo: “cala a boca, guria, que você mal saiu das fraldas”, mas penso que isso não me torna uma fã melhor ou pior do Doctor…

          • Não menosprezei ninguém. Interpretem como queiram.
            Eu não vou discutir mais com vocês, pois pelo o que eu entendi desde o começo, vcs me consideram teenage histérica fã de crepusculo :) Por que se dar o trabalho de baixar o nivel com pessoas como eu, hum?

            A discursão no grupo do fb, apesar dos teenages foi bastante… como poderia dizer… instrutiva. Ninguém precisou ofender ninguém e todos conseguimos falar numa boa o que achamos e quais as falhas que tivemos.

            Eu fiz o máximo que podia fazer e falei o que eu sabia da série. Não importa o que acham ou deixa de acharem, eu achei que minha participação foi relevante.

            E quando falei “maduros como vc” foi ao fato de, vc se considerar mais maduro do que todos que estavam ali, ou estu mentindo? Mas como falei, entendam como queira.

        • Isso me levou a pensar no seguinte: Tennant, Russell, Matt, Moffat, Graig Owens, são todas pessoas “maduras”. Todos os roteristas (uau, o cultuadíssimo Neil Gaiman é muuuuito “velho”!), os diretores, enfim todo mundo lá é velho (exceto a Amy-menina e o Stormageddon). Segundo a lógica de que “pessoas maduras” blá-blá-blá, deveríamos, por conseguinte, parar de assistir à Doctor Who. Ou seja, menosprezar um fã “maduro” é uma contradição inconciliável.

          Bem legal a iniciativa da Cultura e o esforço dos participantes em divulgar a série, mas, de fato, a finalidade não foi atingida. Fica pra próxima…

    • Quanto ao inglês, concordo plenamente com você, principalmente porque DW vai ser transmitido dublado naquele canal, então, pelo menos na TV cultura deveria falar chave de fenda sônica, doutor (a não ser quando se referir ao nome da série que continua em inglês), frases e dialogos (por mim aqui pode continuar em inglês – doctor, sonic screwdriver, …).
      Como foi uma primeira experiência e pelo que a Thais Pond escreveu em um dos comentários – “acredito que o chat era mais dirigido a fãs do que novos espectadores”, é uma coisa que quando feita para o publico de DW da tv cultura pode ser diferente.

  10. Achei muito legal a iniciativa do bate-papo, mostra que a Cultura realmente se importa em conquistar um público, mesmo sendo um canal que não dê tanta importância para audiência.

    Precisamos concordar que trazer Doctor Who para um país como o Brasil (e entendam, não estou xingando minha pátria nem nada, mas é algo cultural), onde ficção científica – ainda mais uma repleta de sillyness e efeitos de baixo orçamento – não é o gênero que faz mais sucesso, é arriscado. Sem falar do preconceito com séries um pouco mais infantis. O que, para mim, é contraditório, tendo em vista todo o non-sense, caricaturização e falta de evolução de 90% das personagens das sempre líderes-de-audiência novelas, inclusive as dedicadas a um público mais velho, como a das 21h. Mas quem sou eu para julgar?

    Posto isso, sabemos que muitos futuros espectadores precisam de um incentivo extra para começar a assistir. Essa conversa foi uma tentativa. Gostei dos “representantes” escolhidos, com exceção, é claro, da Dona Histérica, ou Thalita com H. Talvez eu não devesse reclamar, pois há em todo fandom uma parcela de fangirls irritantes que, infelizmente, gostam de chamar atenção (e que acabam fazendo com que os fãs mais controlados sofram generalizações e sejam classificados como parte de um fandom de… bem, de menininhas de 13 anos com uma crush num ator ou personagem. E histéricas, claro); logo, os fãs ali presentes eram uma representação bem verossímil: uma maioria de fãs apaixonados, porém sensatos, que são constantemente atrapalhados ou interrompidos por uma minoria negativamente obcecada e, a meu ver, completamente dispensável.

    Porque realmente, de que importa, nessa discussão que vocês tiveram, a beleza do Tennant ou as cenas engraçadas das quais certamente todos vocês lembram e que de nada acrescentam na conversa? E o abuso desnecessário do inglês da parte dela? E os gritinhos? E, cá entre nós, A VOZ? Gente. A voz. Ugh.

    Sem ela, acho que todo o programa teria sido melhor, menos truncado, mais solto, mais relevante, e entusiasmado na medida certa. Especialmente se o Delfin falasse mais. Claro, continuaria com algumas ressalvas, pois nunca vou entender esse ódio pela River ou pelo Moffat – amo os dois; adoro uma badass girl, shippo ela com o Eleventh sem deixar de shippar a Rose com o Ninth ou o Tenth, e, megalomaníaco ou não, prefiro a loucura do Moffat ao sentimentalismo exagerado do Davies (serei apedrejada). Mas gosto é gosto.

    Falei demais. Pois então.

    • Adorei seu comentário. =D

      Acho que um dos problemas foi, o fato das perguntas serem diretas e terem que ter uma resposta direta.
      A minha explicação sobre Davies ou Moffat é mega complexa :(

      A River era um personagem ótimo, que o Moffat acabou desgastando demais. Ao mesmo tempo que eu acho que o Moffat está “perdido” com a série, ele tomou atitudes que um produtor não deveria ter tomado. A sexta temporada foi confusa, com companheiros com personalidades diferentes. Ora a Amy é uma pessoa muito forte, ora, ela é aquela menininha do eleventh hour, pra mim, esse tipo de coisa não pode acontecer, teve séries que eu deixei de ver, por causa do desdém que trabalham os personagens.

      Tem coisas que eu prefiro o Davies e tem coisa que eu prefiro o Moffat, é que simples: Eu prefiro os arcos fechados e bem trabalhados do Davies, mas a maioria dos episódios feito por ele, é uma bela droga. E o Moffat, eu sou apaixonada pelo seus roteiros bem escritos e sua complexidade, mas ele falha, ao tentar jogar enigmas e acaba se perdendo e no fim, ele da reebot no universo.

  11. Bom, primeiro de tudo, gostaria de agradecer a TV Cultura pela iniciativa extremamente válida por vários motivos, já ressaltados aqui.

    Sobre o programa: no meu ponto de vista, não era esperada nenhuma aula sobre Doctor Who, mas apenas um bate-papo divertido e informal que teria como um fim apenas mostrar para os fãs a atenção que a TVC vai dar a série e motivá-los a influenciar seus amigos/familiares/etc a assistir o programa, logo, levando por esse prisma eu achei MUITO bom o programa, apesar da exaltação de uma das fãs (todos sabem qual).

    Sobre os spoilers: não vi problema algum pois, como já foi dito, este programa tinha como foco (aparentemente) todos aqueles que JÁ são fãs de DW, e mesmo os eventuais curiosos que tenham acompanhado não se prejudicarão pois a chuva de spoilers foi tão grande que ninguém entenderia nada (e provavelmente sairia do chat).

    Considerações gerais: fiquei impressionado com a unanimidade com relação ao Russel T. Davies! Na maioria dos debates as opiniões são bem divididas… particularmente prefiro o Moffat, acho interessante seu olhar mais lúdico, com pitada de contos de fada, sonhos e pedadelos e só não critico as perguntas ainda sem respostas (que me irritaram bastante) pois acho que elas estão guardadas para um arco dramático que ele montou desde a 5ª temporada já pensando no aniversário de 50 anos de DW.

    Um grande abraço e parabéns a todos os participantes!

  12. Primeiramente, ameia iniciativa da TV cultura. Está dando realmente atenção a série, o que é ótimo.

    Sobre o debate, concordo com algumas coisas, por exemplo como é irritante a super lotação de River pelo Moffat na sexta temporada, impedindo o Rory, a Amy e o próprio Doctor de brilharem, mas ele merece créditos pela ótima quinta temporada.
    Quem me irritou demais foi aquela de branco, Thalita. Ela já tem a voz chata os gritinhos mas falou cada abobrinha. Mas algo que realmente me irritou que quase me fez fechar o chat foi ela chamar o Colin Baker de fracassado. Pelo amor de deus, não gostar do doutor dele é uma coisa, mas fracassado foi demais. Colin só teve uma temporada e alguns episódio, e se não me engano foi nele que se teve um ano sem passar episódio, mas mesmo com todas essas dificuldades ele é um dos atores que foi o doutor mais apaixonados pela série. Então respeitem o cara.
    Outra coisa que me irritou foi a babação dela exagerada pelo décimo. Amo o doutor do David como praticamente todo o fandon, mas ele não é a série toda. Mas tirando isso foi bem legal =)

  13. Gente, agora percebi q vcs erraram em uma coisa, que é que o doctor não fugiu da guerra do tempo (quem fugiu foi o master), ele fechou a guerra. Ele é o assassino da sua própria espécie. No The end of time – part 2 explica-se um pouco sobre isso. A guerra do tempo estava dão mortal, que nem os time lords sobreviveriam a ela e assim o Rassilon tentando obter a sobrevivência dos time lords iria destruir o universo todo, o próprio tempo em si para eles existirem só em forma de consciência. E o doutor quando soube desse plano teve que destruir tanto os daleks como os senhores do tempo com o ”momentun” e assim ele achou que matou a sua espécie, mas na verdade os senhores do tempo ainda tavam lá.

    • Poisé, eu confundi. Na verdade ele fugiu quando ele olhou no vortex quando criança. Assim como, ele mencinou uma vez que ele tinha roubado a TARDIS (e a TARDIS roubou ele).

      O que eu fico na dúvida é, se foi ele que prendeu eles na bolha do tempo, ou os Time Lords fizeram isso, quando ele tentou jogar a ultima bomba, como uma forma de não morrerem.

      Ah, pensando aqui comigo, eu poderia ter falado ido em bora né? Tipo, fugir dá a entender que ele viu e saiu correndo, sendo que ele tinha lutado e tudo, mas quando ele viu que não tinha mais jeito, ele foi embora.

      • A guerra do tempo é meio confusa, mas pelo que eu li a guerra ficou na bolha do tempo porque foram tantas viagem temporais (tanto dos daleks como dos time lords) para mudar cursos que acabou que meio que deu um loop e bloqueou tudo e ninguém podia sair nem entrar e nem voltar ou adiantar o tempo. Pelo que eu entendo a bolha já tava lá, o doutor só meio que fechou kkkk é complicado

        Normal na hora a gente errar ou falar uma palavra, vc foi bem. Mas eu vejo o doutor como meio o que apagou a luz, afinal ele ficou até o final e foi ele que teve que terminar.

  14. Pareceu uma boa iniciativa, apesar de não concordar com a divulgação de spoilers, pode ter sido dirigido a fans, mas muita gente que está(va) pensando em assistir pode não ter gostado. Deveria ser avisado antes de iniciar e ter avisos durante o programa.

    Pensando no publico “novo”, nos novos telespectadores de DW, poderiam fazer isso, um programa cheio de spoilers, só que apenas da série clássica, porque aí, por exemplo, quando a Sarah Jane Smith aparecer, os novos telespectadores vão entender melhor a história.

    Voltando ao chat, o que muitos aqui já falaram, eu não assisti tudo, porque a menina de branco, além do que já falaram dela, por várias vezes falou enquanto os outros estavam falando e eu não consegui entender nenhum dos dois e pulava essa parte.

    • Eu comprei pela Amazon UK, mas eu tenho uma amiga (que inclusive, posta nesse blog) que está na inglaterra e me trouxe, junto com a minha TARDIS.

      Tem a opção do Ebay e mais outras lojas com valor em conta (que eu não lembro o link), fora que tem a Whovian Stuff que vende muita coisa, com pronta entrega.

  15. “tipo, né? [David] ah, tipo, [David] sabe… [David] [David] né? sabe, [David] assim” AAAAAARRRRRRGH Doctor Who é mudança. Sempre foi, desde o começo,e não vai deixar de ser. Ficar de mimimi por causa do 10 (ou, pior, do DAVID – ator) é horrível. Principalmente para futuros fãs; como o Matheus? disse (nos comentários do vídeo), fica parecendo que só o 10 foi bom.
    Mas foi excelente mesmo a participação da Thais e da Aline, do @whoviasnbr, no bate-papo.
    Como diria o 11 “NÓS SEGUIMOS EM FRENTE” ou “WE’VE MOVED ON” :)
    Poderia ter mais um (não-oficial mesmo hehehe) com a Aline, a Thais, o cara de fez (não lembro o nome) e a moça do lado dele. E o rapaz que conduziu o papo, que também é bem legal e sabe o que está fazendo ali.

    Sobre o Davies X Moffat: eu gostava mais do Davies como roteirista-chefe. Os episódios do Moffat na “era Davies” foram os melhores soltos. Davies tinha o “arco final” bem fechado. Moffat já expandiu isso pra temporada toda, e isso é bom. Mas ele expandiu MUITO; estamos indo para a 3ª temporada com uma história que AINDA não fechou. Eu espero que seja concluída, sem pontas soltas, na próxima; está ficando cansativo.

    • “Sobre o Davies X Moffat: eu gostava mais do Davies como roteirista-chefe. Os episódios do Moffat na “era Davies” foram os melhores soltos. Davies tinha o “arco final” bem fechado. Moffat já expandiu isso pra temporada toda, e isso é bom. Mas ele expandiu MUITO; estamos indo para a 3ª temporada com uma história que AINDA não fechou. Eu espero que seja concluída, sem pontas soltas, na próxima; está ficando cansativo.”

      É exatamente isso que eu penso!
      Como o tempo era curto DEMAIS não dava para aprofundar sobre esse assunto. Dai todos ficaram achando que odiamos o Moffat, que no caso, não é.

      • Isso é verdade. O Moffat criou um arco para abordar durante todas as temporadas do eleventh que é o Silêncio, mas para cada temporada ele cria sub-temas. Na quinta foram as rachaduras e esse mistério ele fechou, fazendo assim eu adorar a quinta (sem contar que teve mais diversão, teve as viagens pelo tempo e pelo espaço, tendo o clima DW de ser) já a sexta além da overdose de River ele não conseguiu fechar o sub-tema dessa temporada que era a morte do doutor direito, pq deixou tudo para um só episódio e assim deixou duvidas, então acumulou e vai ficar ou não explicado ou vai enrolar com o tema da sétima temporada, o que é uma pena, pq esse tema ”Doctor Who?”é épico se usado de maneira correta as vésperas do 50 anos da série

  16. Hey quando a moça fala que a um erro no episodio Doomsday…Na verdade não ha os que foram convertidos a ciber neste universo usaram as armaduras e peças feitas no outro universo a armadura tinha a poeira… :)

  17. Parabéns a todos aê pela participação do programa.
    Só confesso que não consegui assistir o video todo, tendo parado nos 13 minutos.

    A causa foi a menina de branco, pois ela parece querer de qualquer forma ser o centro das atenções.
    Nesse tempo que eu assisti ela foi a que mais falou, chegando ao ponto de falar junto com outros convidados (o que eu achei desrespeitoso da parte dela) e o ápice – pra mim – foi quando ela diz “Ai, posso falar?”.
    Pô! Só ela que falava, e ainda queria mais espaço?

    Fiquei bem incomodado com isso e pelo menos agora não terei paciência de assistir tudo rss.
    Mas, fora isso (rss) gostei bastante do que vi e ouvi e novamente parabenizo vocês.

  18. Eu amei saber que a tv cultura estava passando DOCTOR WHO.
    Eu nunca tinha visto mais depois que eu vi amei.

    mt legal.
    o doctor who deveria ficar coma amy.
    ele formam um par perfeito.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>