Christopher Eccleston: “Doctor Who quase destruiu minha carreira”

Christopher Eccleston, o ator que interpretou o 9º Doutor, inaugurando a era moderna de Doctor Who, fez mais uma declaração sobre sua saída da série. Não é segredo pra ninguém que ele não saiu em bons termos, e a cada ano que passa, mais informações chegam sobre o assunto – embora a coisa ainda pareça ainda muito nebulosa.

Em entrevista ao jornal The Guardian para divulgar a peça Macbeth no Royal Shakespeare Theatre, Ecclie desabafou sobre o ocorrido e disse o seguinte:

O que aconteceu em Doctor Who quase destruiu minha carreira. Eu dei a eles um programa de sucesso e saí com dignidade, e eles me colocaram em sua lista negra. Eu tinha minhas inseguranças, pois era algo que eu nunca tinha feito, e fui abandonado, difamado pelos tabloides.

Meu agente me disse: “A BBC está contra você. É melhor sair do país e esperar o regime deles mudar”. Fui para os Estados Unidos e continuei trabalhando, como meus pais me ensinaram. Meu pai me dizia: “Não me importo com o que você faça – seja varrer o chão ou qualquer outra coisa – mas faça seu melhor. Parece clichê e papo de quem é do Norte, mas é verdade.

Em 2016, em uma outra entrevista, o ator disse que teria feito uma segunda temporada, mas que infelizmente isso não foi possível.

A primeira temporada de uma série é sempre difícil de vender, e apesar deles serem muito mal-organizados, tenho orgulho do fato de que conseguimos, apesar de todo o caos. Eu gostaria que a BBC tivesse reconhecido isso, pois assim as coisas teriam sido diferentes.

Sempre há arrependimentos. Eu reassisti minha performance e teria mudado algumas coisas. É trágico que eu não tenha o interpretado por mais tempo. É um personagem lindo, e tenho muito orgulho dele, e eu teria feito uma segunda temporada, melhorando minha performance. Eu estava aprendendo a fazer comédia. Mas a produção da série não permitiu.

É importante em uma série fazer uma decisão inteligente, mesmo que isso quebre o orçamento – escolher o primeiro diretor que vai dar o tom à série – e isso não aconteceu. Um desastre.

Há alguns anos, antes de todas essas informações acima, a gente chegou a gravar um vídeo sobre o assunto dando mais detalhes sobre o assunto, dá uma conferida!

 

O caso de Eccleston já está sendo comparado com a saída de Colin Baker, que também sofreu com o alto escalão da BBC. O Controller da emissora na época, Michael Grade, simplesmente detestava Doctor Who, dizendo que o programa era violento demais. Além disso, ele morava com a ex-mulher de Colin, Liza Goddard.

As condições que estabeleceram a saída de Eccleston da série continuam obscuras. O ator culpa a emissora, e também sabemos que ele não se deu bem com alguns membros da produção na época. Apesar disso, ele mantém ótimas relações com Russell T. Davies, Billie Piper, John Barrowman e outros membros do elenco. Seja como for, ele continua sendo um dos Doutores favoritos da galera, e sua passagem pela série será para sempre lembrada como brilhante.

Ele tem muito carinho pelo papel e já declarou que tem orgulho disso, mas infelizmente sua relação com a BBC ficou abalada desde então – o que explica o motivo dele não querer participar do especial de 50 anos.

É uma pena, pois seria muito legal se ele tivesse feito mais temporadas da série e tivesse participado do especiald e 50 anos (e do de 60, 70…). O que importa é que nós tivemos ele por uma temporada – e ele foi fantástico! 🙂

Thais Aux

Thais Aux é jornalista, tradutora, social media e sonhadora. Começou a ver a série em 2011. Doutor favorito: Capaldão. Companion favorita: Rose Tyler. Vilão favorito: Daleks!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*