DWBR no Ar 05 – 5 vilões da série clássica que deviam entrar na moderna

Bem-vindos ao DWBR no ar, o canal do Doctor Who Brasil no YouTube! A partir de agora você confere Thais Aux e Freddy Pavão, o casal responsável pelo site, em vídeos semanais com curiosidades sobre Doctor Who, a série britânica com mais de 50 anos de existência!

O tema dessa semana foi escolhido por vocês na nossa votação do último vídeo: os vilões da série clássica que deveriam voltar para a série moderna! Com direito até a menção honrosa, esperamos que tenham gostado da nossa seleção, e se tiverem outras ideias, compartilhem com a gente nos comentários! 😉

Assine o canal e fique por dentro de todas as novidades sobre Doctor Who! http://youtube.com/doctorwhobrasil

Dá um play, assine o canal, dê um joinha e compartilhe com os amigos!

Siga o DWBR nas redes sociais!

Facebook: http://www.facebook.com/doctorwhobrasil
Twitter: http://www.twitter.com/doctorwhobrasil
Instagram: http://instagram.com/doctorwhobrasil
Tumblr: http://doctorwhobrasil.tumblr.com/
RSS: http://feeds.feedburner.com/doctorwhobrasil
App: http://app.vc/doctorwhobrasil
Google Plus: https://plus.google.com/+doctorwhobrasil
DWBRcast no iTunes: https://itunes.apple.com/br/podcast/dwbrcast/id804719528?l=en
Assine nossa newsletter: http://doctorwhobrasil.com.br/newsletter
Confira o site Off Topic: http://www.offtopic.com.br/

Guia de Compras de Produtos de Doctor Who

Um comentário em “DWBR no Ar 05 – 5 vilões da série clássica que deviam entrar na moderna

  • 28/11/2015 em 9:10 PM
    Permalink

    Os Weeping Angels, no meu entendimento, não matam por prazer sempre. Se pensar no final de “The Angels take Manhattan” quando Rory pede ao Anjo que pegou a Amy para mandá-lo para a mesma linha do tempo que ela o Anjo o leva para lá mesmo sabendo que não precisava. Eles atacam por necessidade, é o meio deles conseguirem alimento.
    Pórem no episódio “Time of the Angels” eles adotam uma postura muito diferente até mesmo em outros sentidos, como usar um corpo humano para se locomover e falar (o que não foi explicado).

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*