Celebrando o aniversário e a carreira pós-Doctor Who de Peter Davison!

dest-peter-davison

Por Tati Oldfield

Oi, pessoal do Doctor Who Brasil! Cá estamos novamente por aqui, e desta vez é para celebrar o aniversário de 64 anos (mas já?) do londrino Peter Malcolm Gordon Moffett, mais conhecido como Peter Davison, nosso eterno 5º Doutor (1982 a 1984), amante do críquete e do famigerado ramo de salsão/aipo na lapela e da TARDIS cheia de companions viajando pelo tempo e espaço!

Para comemorar mais um ano de vida do pai da filha do Doutor na vida real (Georgia Moffett, a Jenny) e do sogrão do 10º Doutor (David Tennant), resolvi escolher 5 seriados que ele fez depois de Doctor Who que valem a pena conhecer – uma tarefa bem difícil para quem tem 40 anos de carreira na telinha britânica!

A Very Peculiar Practice (1986 – 1988)

pete_AVPP
(com o elenco de A Very Peculiar Practice, com David Troughton, 2º à esquerda)

Essa foi a primeira série depois de DW que o Peter fez, escrita pelo autor da versão original de House of Cards (Andrew Davies) e traz também no elenco David Troughton (filho mais velho do Patrick Troughton, o 2º Doutor). Nesta série, Peter fez o papel de um médico idealista chamado Dr. Stephen Daker, recém-chegado a uma clínica médica de uma fictícia e moderna universidade britânica que tem que lidar com seus colegas de trabalho, que estão mais preocupados em si mesmos do que na medicina e seus pacientes, além das politicagens universitárias que refletiam a Inglaterra em tempos de Margaret Thatcher no poder. Um retrato surreal da vida universitária britânica nos anos 1980, seguindo a linha de comédia dramática, no qual o conjunto de personagens faz toda a diferença.

At Home with the Braithwaites (2000 a 2003)

pete_athome
(quem está ao lado direito do Peter é Sarah Churm, que fez o papel da esposa do John Barrowman no The Five(ish) Doctors Reboot)

Depois de muitos anos afastado da telinha durante os anos 90, essa série escrita por Sally Wainwright (de Last Tango in Halifax) fez bastante sucesso na época, marcando a volta de Peter aos seriados, desta vez em uma comédia dramática para lá de maluca. Imaginem uma família de classe média de Leeds (Inglaterra) que tem a vida virada de cabeça para baixo da noite para o dia por causa de um bilhete de loteria e uma bolada de 38 milhões de libras como prêmio. Nesta série, Peter fez o papel de um pai de família todo enrolado no trabalho e bem distante da esposa e das filhas. Uma série super intensa, engraçada, com drama e humor negro na medida certa. De todos os papéis que interpretou, é o seu preferido e o que foi mais desafiador de toda a sua carreira. E isso é refletido muito bem nos dilemas do seu personagem, bastante complexo e bem desenvolvido dentro da trama.

The Last Detective (2003 a 2007)

pete_georgia2

Esta série policial foi baseada e adaptada dos romances do escritor Lesilie Thomas e traz Peter como o detetive DC (Detective Constable) Dangerous Davies, que foi rebaixado à patente mais baixa dos detetives da polícia britânica depois de testemunhar contra um policial corrupto em uma delegacia no noroeste de Londres. Apesar do seu chefe e colegas o apelidarem de Dangerous, de perigoso ele não tem nada: é um detetive à moda antiga e gentil, que se preocupa com as pessoas que fazem parte da sua investigação e que apesar das adversidades, consegue resolver os casos com sucesso e astúcia. Aos poucos ele vai reconstruindo a sua reputação no trabalho e na vida pessoal. Durante as investigações, seu amigo fiel de todas as horas, Mod Lewis (Sean Hughes) se faz presente, numa dinâmica bem semelhante de quando fez o 5º Doutor com seus companions. Em um dos episódios da série, temos a presença da sua filha Georgia na telinha, e é super bacana ver os dois atuando juntos…

Fear, Stress and Anger (2007)

pete_fear_stress_anger
Nesta comédia estilo sitcom produzida pela esposa de Steven Moffat (Sue Vertue), temos a oportunidade de vermos o Peter atuando do lado da sua filha Georgia como pai e filha (Martin e Chloe Chadwick) também na telinha! Imagine um casal de meia idade tentando lidar com os novos desafios da vida profissional e pessoal com medos, estresse e raiva, e ao mesmo tempo tentando se manter joviais enquanto a vida deles é dominada pelas suas duas filhas!

Neste vídeo, vemos a personagem da Georgia tendo aulas de direção com o pai, mas será que vai dar certo?

Momento trivia: foi por causa da performance do Peter Davison nessa série que fez o Steven Moffat entrar em contato com ele para reprisar o papel do 5º Doutor para o especial de 2007 para o Children in Need… e o resultado foi Time Crash!

Law & Order: UK (2011 – 2014)

pete_freema
Versão britânica da franquia americana de sucesso, Peter fez parte do elenco a partir da quinta temporada até a última antes do hiato (oitava) como o chefe do CPS (Crown Prosecution Service), Henry Sharpe. Em suas duas primeiras temporadas, ele contracenou com Freema Agyeman (a eterna Martha Jones), que também fazia parte da turma da ‘Ordem’ do programa como ele. Os roteiros originais americanos foram adaptados à realidade do sistema judiciário britânico e é uma daquelas séries que o conjunto entre os personagens principais é fundamental para o entendimento da trama. Tem episódios que eleaparece mais do que outros, sendo que sua melhor performance é no episódio ‘Hard Stop’ da oitava temporada no qual seu personagem tem um papel central na trama, com uma performance de tirar o fôlego.

Nos dias de hoje

Apesar de estar uma fase que está fora da TV, o Peter Davison anda bem ocupado com outros projetos. Dois deles são uma história em quadrinhos do 5º Doutor, e sua autobiografia. Atualmente, ele é uma das estrelas do clássico musical Gypsy no papel de Herbie e que está em cartaz até meados de julho no West End londrino (fica a dica para quem quiser vê-lo nos palcos se tiverem de passagem por Londres). E no final de maio estará reprisando o seu papel de mestre de cerimônias na primeira turnê britânica da Doctor Who Symphonic Spectacular (DWSS)!

Algumas curiosidades!

Além de atuar, Peter também é músico (toca violão/guitarra/teclado) e tem um estúdio em casa para passar o tempo quando não está atuando. Ele já compôs duas trilhas sonoras para dois seriados infantis aqui no Reino Unido, como Button Moon, e vira e mexe em convenções de DW, dá uma palhinha cantando suas próprias músicas. Confira o vídeo da DragonCon 2013 com o Sylvester McCoy acompanhando nas colheres!

E que venham muitos anos de vida e sucesso na carreira…e como diria o 5º Doutor: “Sorry, must dash!”

Doctor Who Brasil oferece desconto nas miniaturas da Eaglemoss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*