A História de “Doctor Who” – parte I

por Anna Hartnell

Ora, muito bem. São onze Doutores e quase 50 anos de “Doctor Who”. É muita história. Mas você sabe como foi que toda essa aventura começou?

Se eu te contasse que foi tudo culpa de um buraco na programação da BBC e de um canadense fã de sci-fi, você acreditaria?

Você leu certo: um buraco na programação!

A série que todos amamos teve origens nada nobres:  um projeto infantil do produtor Sydney Newman, nascido em Toronto (1917-1997). Recém-chegado na BBC no começo dos anos 1960, ele recebeu a missão de criar um programa para preencher o espaço no sábado à noite entre o programa esportivo “Grandstand” e o “Juke Box Jury”, um show musical em que celebridades julgavam os “singles” lançados na semana.

A única exigência da emissora era que fosse um programa que pudesse ser assistido por toda a família, como uma transição entre os dois shows (a audiência do “Grandstand” sempre foi masculina, enquanto a do “Juke Box Jury” era feita por adolescentes). De preferência, voltado mais para as crianças, que estavam mal representadas na grade de shows.

Sydney Newman, o "pai" do Doutor, em 1984

Sydney Newman, o “pai” do Doutor (foto de 1984)

Newman adorava ficção científica, e achou que esse era o veículo ideal para o programa pedido. O Reino Unido já estava numa onda de sci-fi mesmo: séries de sucesso como The Quartermass Experiment (1955) e A is for Andromeda (1961) já tinham pavimentado o caminho. Além disso, era o início da Era Espacial e da conquista do espaço – os primeiros satélites artificiais já tinham sido lançados e começava a se falar em mandar o homem à Lua. Ou seja, o espaço era O Lugar para se explorar.

Com tudo isso em mente, Sydney criou a ideia de um misterioso personagem alien em uma nave que era maior por dentro do que por fora (eliminando assim grandes gastos com cenários – algo que se repetiria nas décadas seguintes…), viajando pelo tempo e espaço em busca de aventuras. Assim, poderia ensinar Ciência e História de uma maneira menos chata. Ideia genial, vai dizer?

(Se você está chocado, saiba que até hoje DW é considerado um programa infantil pela BBC, e exibido em horário compatível com sua classificação de idade – seis e meia da tarde de sábado).

Para facilitar ainda mais o aprendizado, Sydney achou que seria legal se o Doutor tivesse companheiros de viagem – gente que pudesse fazer as perguntas que o público certamente faria, e que o Doutor pudesse responder sem que parecesse forçado no roteiro. Surge aí o papel dos companions – os primeiros, Ian e Barbara, não por acaso eram professores.

O nome “Doctor Who” era provisório, enquanto ninguém aparecia com alguma coisa melhor. Só que chegou a hora de ir para o ar e nada de ideia melhor, então o improvisado acabou virando definitivo… Newman nunca chegou a batizar seu misterioso alienígena, e nunca realmente pensou em uma história de vida muito elaborada para ele. Primeiro porque, naquele tempo, não se pensava muito em arcos longos de história. Segundo porque, como veremos no próximo capítulo dessa saga, “Doctor Who” não era para durar muito tempo…

…CONTINUA

Este homem quase não foi o Doutor. Vocês verão como no próximo episódio!

Compre aqui o livro 12 Doutores 12 Histórias da Editora Rocco

20 comentários em “A História de “Doctor Who” – parte I

  • 09/03/2012 em 11:08 AM
    Permalink

    Muito bom saber dessas informações. Vi alguns episódios da série clássica mas sempre quis saber bem mais.
    Já estou ansioso pela parte 2.

    Resposta
  • 09/03/2012 em 11:56 AM
    Permalink

    Eu já conheço a história de Doctor Who quase que de trás pra frente, rs. Mas como fã não vou deixar de acompanhar o texto, só tenho uma reclamação: o texto tá tão curtinho, assim vc mata a gente de ansiedade. Abraços.

    Resposta
  • 10/03/2012 em 12:15 PM
    Permalink

    Muito Interessante, não sabia desses detalhes.
    Mal posso esperar a continuação.

    Resposta
  • 11/03/2012 em 11:22 AM
    Permalink

    Anna, sua perversa, foi deixar esse cliffhanger para torturar a gente! Então quase não foi o William Hartel o primeiro Doctor?! Oh, Deus, que venha logo essa continuação da história.
    Muito legal. Eu também desconhecia esses detalhes.

    Resposta
  • 11/03/2012 em 9:51 PM
    Permalink

    Olá!
    Sou recém-chegada no universo de Doctor Who, conheci essa série espetacular há duas semanas, pelo Netflix. Foi paixão a primeira vista, já vi as 3 primeiras temporadas e acabei de começar a quarta.
    Agora descobri esse site tão legal, então vim aqui para parabenizar vocês pelo ótimo trabalho e dizer que já entrou para os meus favoritos!
    Abraço a todos!!
    Carol

    Resposta
    • 11/03/2012 em 9:52 PM
      Permalink

      Awn, sua linda! Embarque na Tardis com a gente! Seja bem-vinda! \o/ Allons-y?

      Resposta
    • 12/03/2012 em 6:12 PM
      Permalink

      Carol, em duas semanas você viu as 3! De fato, não dá para largar. Quando você começar a acompanhar a sétima temporada vai ver o sofrimento que é aguardar um ano para resolver a questão deixada pelo cliffhanger…
      E por falar em sofrimento (atroz, insuportável mesmo), daqui a pouco você vai ter que enfrentar a saída do Tennant. Dou todo meu apoio, mas digo-lhe que sofro até hoje. Nossa sorte é que o Matt é muito bom e adorável. E Doctor Who é isso mesmo: regenerações e suceder de companions – todos inesqueciveis.

      Resposta
      • 10/04/2012 em 7:33 PM
        Permalink

        Eu ainda não consigo entender porque ficam endeusando David Tennant! Parece que ninguém entende que o personagem é maior que o próprio ator, digo, o Doutor continua lá, só mudou de cara, mas a sua essência ainda é a mesma, só a personalidade que muda um pouco…

        Resposta
  • Pingback: A História de “Doctor Who”, parte I – Procura-se um Doutor | Doctor Who Brasil

  • 15/03/2012 em 9:51 PM
    Permalink

    Oi!
    Nossa é verdade, já aprendi (na marra) que não posso me apegar aos atores… Mas o personagem é tão apaixonante que vai além de quem o interpreta! E é sério, vi as 3 em 2 semanas e hoje vou ver os 2 últimos da quarta… Vou tentar economizar daqui pra frente pra não acabar tão rápido!!! rsrs
    Eu ainda to me achando entre esses especiais, to meio perdida nisso… Alguma dica?
    E Tahis, já entrei na TARDIS e vou feliz e saltitante pra onde e quando ela me levar!!!! Allons-y!!!!!!!
    Bjs a todos da mais nova whovian do pedaço ! 😉
    Carol.

    Resposta
  • 19/03/2012 em 10:36 PM
    Permalink

    também conheci o doctor pelo netflix e em poucas semanas já estou vendo a série antiga e MORRENDO de ansiedade pela 7ª temporada!!

    Resposta
  • 10/04/2012 em 7:35 PM
    Permalink

    Então o que era improviso, na verdade se tornou um trocadilho genial! Puxa, pra ver como a vida é irônica… XD Aliás, Doctor Who?

    Resposta
  • 05/06/2012 em 6:17 PM
    Permalink

    assisto todo o dia que passa na tv cultura é muito legal é divertido doctor who é o melhor programa que já vi tá bjs doctor who d+

    Resposta
  • 29/06/2012 em 12:30 PM
    Permalink

    Ah!!! Sabe o que eu queria?! Queria muuuuito acompanhar Dr. Who desde os primordios… o primeiro episódio!!!!!

    Resposta
  • 28/08/2012 em 7:33 AM
    Permalink

    ola galera que gostam do doctor-who eu tambem gosto dele sabiam? kkkkkkk mas vamos dizer a verdade sou um viajando do tempo se vcs ficarem comedo de algo e so pensar em mim que ue estarei ai e sigam o meu amigao o meu maior fã no facebok vitor lima lopes vc vai encontrar um menino de chorte azul na praia ok? agora vou para mais uma aventura te espero pode confiar !!!!!!!!!

    Resposta
  • 31/10/2012 em 8:12 PM
    Permalink

    Adorei nao da pra mandar o proximo capitulo por email

    Resposta
  • Pingback: David Bradley vai viver William Hartnell em especial da BBC | Doctor Who Brasil ::: Tudo sobre os 11 Doutores, companions, série clássica e muito mais! Allons-y!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*