[Dossiê DWBR] Peter Cushing: Entenda mais sobre o Dr. Who dos filmes non-canon

Bom dia/boa tarde/boa noite, você que também adora realidades alternativas!

Hoje vamos falar um pouco sobre o incrível ator Peter Cushing, mais conhecido pelos papeis em Star Wars, como Grand Moff Tarkin, Dr. Van Helsing, nos filmes clássicos de Drácula da Hammer, e até mesmo Sherlock Holmes! Mas você deve estar se perguntando “O que diabos uma notícia dessas está fazendo aqui?”, bem, como todo bom ator inglês, Cushing também teve sua participação na mitologia de Doctor Who.

O ano era 1965, e Doctor Who ia de vento em popa na terra da rainha. Com todo o sucesso da série e a Dalekmania mais do que bem estabelecida, a mitologia de Doctor Who começou a vazar para outras áreas que não a série, e isso inclui o mundo dos longa-metragens.. Foi então que a AARU Productions resolveu conseguir os direitos de um dos arcos mais bem sucedidos da série, The Daleks, e adaptar em um filme. Tal criação seria dirigida por Gordon Flemyng, e filmada totalmente em cores, e em formato widescreen (lembrando aí que a série em si só saiu do preto e branco em 1970, na época do 3º Doutor).

Dr-who-and-the-daleks-poster
Poster de Dr. Who and The Daleks. Pela primeira vez, Daleks em cores!

Como se não fosse o bastante criar um filme baseado na série que era o boom do momento, o ator escalado para o papel principal do filme seria ninguém menos que Peter Cushing, que já tinha fama pelos papeis nos filmes de Dracula e Sherlock Holmes anos antes.

Humano, bem menos rabugento e igualmente incrível, o então Dr. Who (sim, Who sendo o sobrenome do personagem) de Cushing  se mostrava muito mais como o Avô gente fina do que o autoritário Doutor de William Hartnell.

 

Seguindo os personagens do arco em que o filme se baseava, ao lado de Who tínhamos a pequena Susan, sua irmã mais velha Barbara (que dessa vez também pagava de neta do Doutor), e Ian, o namorado trapalhão da neta mais velha. Com leves alterações no arco em que se baseava para uma mais fácil absorção do público que não assistia a série, Dr. Who and The Daleks teve um sucesso considerável, tanto que um ano depois uma sequência ganharia vida.

Tom-Campbell-Doctor-Who
Rostinho familiar?

Dalek Invasion on Earth 2150 a.D seguia a mesma fórmula do antecessor, se baseando em um arco de sucesso da série (no caso The Dalek Invasion of Earth), fazendo somente leves alterações. No caso deste, uma das principais mudanças eram os personagens de Ian e Barbara, que deixavam de aparecer para dar lugar a Louise, a sobrinha de Dr. Who e Tom Campbell, um policial que entrava na TARDIS por acidente, depois de confundi-la com uma cabine policial de verdade. (Nota legal: Tom Campbell foi interpretado por Bernard Cribbins, que apareceria novamente em Doctor Who como Wilfred, o avô de Donna).

Considerado até hoje pela BBC como um dos Doutores Non-Canon, o Doutor de Cushing não foi completamente deixado de lado. Em Fevereiro de 1996 a Doctor Who Magazine trazia uma história em quadrinhos,  Daleks Versus the Martians, que tomava lugar entre os dois filmes dos anos 60. Em 2000, em Short Trips and Side Step, um livro só de contos sobre Doctor Who, um deles, The House on Oldark Moor, também se passava no universo de Dr. Who. Ambos os trabalhos, antes de mais nada foram uma homenagem ao próprio Cushing, que do seu próprio jeito fez sua contribuição para a existência e sucesso de Doctor Who até os dias de hoje.

Daleks-Martians-quadro

Ainda em relação a homenagens que os filmes ganhariam, em entrevista para a Doctor Who Magazine, Moffat revelou que durante a produção de The Day of the Doctor, o especial de 50 anos, ele tinha planos de incluir este Doutor de alguma forma na trama.

“Quando eu comecei a escrever “The Day of the Doctor” eu sabia que ia querer todas as versões do Doutor fazendo pelo menos uma aparição. Mas e Peter Cushing? Como eu amo os filmes dele! Mas a verdade é que elas não encaixam em nada no resto da série, né? (…) Bem, lembram aquela parte no Black Archive da UNIT, onde Clara fica olhabdo o Manipulador de Vortice? Na minha ideia original, onde acabou sendo o manipulador, Clara estaria maravilhada com dois posters dos filmes de Dr. Who! Na minha cabeça os filmes existem dentro do universo de Doctor Who como adaptações levemente distorcidas das primeiras aventuras do Doutor! É uma pena, mas no final das contas nós não conseguimos os direitos para usar os posters.”

E então, confusos com mais essa linha alternativa da história da série? Ansiosos para ver o filme? Fãs dos trabalhos de Cushing? Contem pra gente aqui embaixo nos comentários!

Freddy Pavão

Freddy Pavão é publicitário, nerd, gamer, podcaster e entusiasta da série clássica. Começou a ver Doctor Who em 2008. Doutor favorito: 7º. Companion favorita: Ace. Vilão favorito: Valeyard!

3 comentários em “[Dossiê DWBR] Peter Cushing: Entenda mais sobre o Dr. Who dos filmes non-canon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*